segunda-feira, 14 de setembro de 2015









DICAS PARA COMUNICAR COM ALGUÉM COM PERTURBAÇÃO DE PERSONALIDADE BORDERLINE

1- Seja realista. Não conseguirá eliminar o comportamento borderline da outra pessoa, por melhor comunicador que seja. Apenas essa pessoa o poderá fazer. O seu objectivo é simplesmente comunicar de uma forma que respeite ambas as partes. 

2- Saia, se necessário. Não tem de tolerar ameaças físicas ou abusos verbais e emocionais.

3- Simplifique. Quando fala com um borderline, especialmente sobre assuntos delicados, lembre-se de que as emoções serão provavelmente tão fortes que nenhum de vós conseguirá raciocinar como deve ser. Torne cada frase curta, simples e directa. Não abra espaço para equívocos.

4- Separe a pessoa do comportamento. Deixe claro ao indivíduo com PPB que, quando não gosta de uma atitude, isso não significa que não goste da pessoa. Poderá ter de sublinhar isto várias vezes.

5- Fale primeiro dos sentimentos e só depois dos factos. Numa conversa normal, consideramos os factos antes de considerar os sentimentos. Avaliamos factos e é perante estes que reagimos sentimentalmente. No entanto, muitas vezes, as pessoas com Borderline invertem este processo. Têm sentimentos – tais como o medo de que o companheiro os abandone – e portanto, alteram os factos de maneira a que estes correspondam aos seus sentimentos. Por exemplo, o companheiro não está a sair de casa para ir à mercearia, ele está a abandonar a relação. Uma pessoa que não tenha esta perturbação, confrontada com essa acusação irá tentar esclarecer os factos (tem a lista de compras com ela, não há comida no frigorífico, etc.) porém, no estado emocional do Borderline, isso é irrelevante. Em alternativa, o companheiro pode ir mais longe se reconhecer e se tiver empatia pelos sentimentos (e não factos) do indíviduo com Estado-Limite em vez de os desvalorizar. É assim que, por sua vez, pode inserir a sua própria realidade, por exemplo: “Pareces estar muito transtornado. Eu também ficaria assim se pensasse que te irias embora para sempre. De qualquer maneira, eu só vou à loja e volto dentro de uma hora.”

6- Mantenha-se focado na sua mensagem. Ignore os ataques, ameaças ou tentativas de mudar de assunto. Fique calmo e insista na questão. Se se sentir atacado, diga calmamente que os ânimos estão demasiado exaltados e que voltará dentro de uma hora e saia.

7- Faça perguntas. Atire o problema para a pessoa. Peça-lhe soluções alternativas dizendo, por exemplo, “O que achas que devíamos fazer a partir daqui?” ou “Não consigo dizer que sim e tu pareces querer mesmo que eu o faça. Como poderemos resolver isto?”

8- Lembre-se da importância do timing. Há boas e más alturas para levantar certas questões. Um incidente que possa fazer o Borderline sentir-se particularmente vulnerável – um despedimento, por exemplo – pode trazer-lhe sentimentos de rejeição, abandono e invalidação. A vossa conversa será provavelmente muito mais difícil. Adie se puder, ou pelo menos tenha em consideração a vulnerabilidade do indivíduo com Estado-Limite.

9- No meio de uma discussão que se vai tornado cada vez mais intensa e improdutiva, utilize o: Atrasar, Distrair, Despersonalizar e Separar.

Atrasar . Diga à pessoa “Porque não pensamos sobre as coisas e falamos sobre isto mais tarde?” ou “Dá-me mais algum tempo para pensar no que estás a dizer”. Fale com calma e de uma forma que o ponha a si e à outra pessoa ao mesmo nível, sem confirmar as suas afirmações obrigatoriamente: “Agora estou muito transtornado. Os teus sentimentos são importantes para mim e preciso de algum tempo para os compreender.”

Distrair. Sugira, por exemplo, que ambos façam uma tarefa juntos.

Despersonalizar. Durante a discussão, deve relembrar-se várias vezes de que as fortes críticas contra si não são são reais, ainda que o pareçam para o Borderline. Não leve a peito os comentários dele, por mais cruéis que sejam. É essa a natureza da perturbação.

Separar. Separe-se emocionalmente para que não seja apanhado neste turbilhão. Diga a si mesmo “Não vou deixar-me envolver tanto nisto.”

1 comentários:

Katherine Zestoka disse...

gostei <3

Postar um comentário