segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Uma vida a procura do equilíbrio, que está sempre distante





Parte (1)




Ela se chama Lyssa,uma jovem solitária e incompreendida. Perdida em meio ao caos que rodeia a sua existência. Portadora de uma beleza incomparável, seus cabelos negros e lisos, que por mais que ela tente, sempre está a cair uma fina camada de franja em seu rosto sempre corado; Seus olhos são de um azul brilhante, que mais parece se igualar ao céu límpido que cobre sua visão. Sua pele clara e delicada como porcelana.
Lyssa tem apenas 14 anos, mas sua vida marcada por traumas e tragédias, fez essa adolescente amadurecer e conhecer verdades difíceis de serem compreendidas pelas pessoas ao seu redor.

Ela caminha... procurando encontrar, e se perde buscando o seu lugar.
Mas com os olhos embaçados mal consegue enxergar, e ela cai....

Ao seu redor, a escuridão toma conta dos espaços, e ao seu lado encontra somente uma folha de papel amassada...com os seguintes escritos “ na vida todas as dores são passageiras, e o que resta então são apenas cicatrizes de um passado que jamais poderá ser apagado, porém, guardado”.
Uma lágrima cai de seus olhos, e o papel amassado é arremessado para longe, longe da sua dor... longe do seu sentir....
Ela chora...compulsivamente, quer colo, quer companhia...mas ninguém aparece para lhe socorrer, amarga ilusão; Somente o vento lhe sopra aos ouvidos, e o balançar das árvores parece lhe oferecer abrigo.
Cansada demais para prosseguir, ela pega no sono.

Continua.....

2 comentários:

Angelica disse...

Gostei do texto.

Meu post de hoje também fala sobre cicatrizes e sobrevivência!!

Beijo!

Christian Vinicius Bazyl disse...

muito bom.

Postar um comentário