domingo, 31 de janeiro de 2010

Sem lugar





O que fazer quando nada mais importa?
Pra onde seguir se as portas se fecharam?
A escuridão tomou conta da sala,
Que esta fechada para visitação.

As janelas não se abrem,
A claridade insiste em penetrar pela fenda,
Que aos poucos diminui
Bloqueando a passagem do vento.

O nada corrompeu os sentidos
O vazio preenche os espaços
E a vida se esvaindo em meio ao caos da alienação.

Prosseguir é o mais difícil,
Desistir é possível,
Permanecer imutável na solidão de si mesmo
Com o tempo correndo ao contrário.

Perder o que não se tem,
Encontrar o que não se conhece,
Partir sem deixar marcas
Somente a procura do inexistente.

4 comentários:

Jards Rangel disse...

O teu jeito de escrever é impressionante e cativante...

Allan Thalles disse...

Adorei o blog, seu tecyo passa sentimento em cada palavra escrita...realmente impressionante...continue escrevendo, porque seus textos são bons para a nossa mente!!! Também tenho um blog da mesma linha que o seu, espero sua visita... http://poemasdomeumicro.blogspot.com/, desde já agradeço!

lorrayne t. disse...

Intenso, um tanto 'sombrio', mas é lindo (:

Poesias-Fran.R.M disse...

Amei, você tem talento para escrever :D

Bjs!

Postar um comentário