quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Sem lugar





Solidão,
consumida de toxinas,
esvaindo-se,alargando-se
perdendo a essência do ser,
em meio ao caos do existir,
e presa no caminho tentando viver.

2 comentários:

Tais Carvalho disse...

Adorei o blog, sensível e delicado. Parabéns.

Renato Hemesath disse...

É preciso encontrar-se com o seu ser, para seguir. :)

Postar um comentário