sexta-feira, 12 de março de 2010






"Que coisas são essas que me dizes sem dizer, escondidas atrás do que realmente quer dizer?
Tenho me confundido na tentativa de te decifrar, todos os dias. Mas confuso, perdido, sozinho, minha única certeza é que de cada vez aumenta ainda mais minha necessidade de ti. Torna-se desesperada, urgente. Eu já não sei o que faço. Não sinto nenhuma outra alegria além de ti.
Como pude cair assim nesse fundo poço? Quando foi que me desequilibrei? Não quero me afogar. Quero beber tua água. Não te negues, minha sede é clara."
(Caio Fernando Abreu)

5 comentários:

Livia Barreto disse...

...me tire daqui,me leve contigo,me cuida,me toma pra ti,me leva pra longe de tudo e todos e me gruda em você,até nos tornármos um só.

Rui disse...

é perigoso se perder assim...
se no fundo do poço achar água pra vida toda, tudo bem, senão, é dor, muita dor e desespero

talvez, antes de decifrar o outro, melhor seria decifrar a si mesmo

bonito poema

simone vauna monteiro disse...

lindo post...
adorei seu blog,tudo muito fofo!
sucesso....bjuussss

Rogerio disse...

belas palavras,,,muito bom o poema...parabens,,

Juliano Todesco disse...

Parece um texto que tem tudo a ver com o nome do blog, é como se uam pessoa tivesse em distente equilibrio. abração!

Postar um comentário